Temporada de Outono 2014

Temporada de Outono 2014

Chegou a primavera e está um calor dos diabos, céus, como eu queria estar agora no Japão (sim, estou realmente desejando isso) ou em qualquer lugar do hemisfério norte, lá agora é Outono, e com isso em mente comecemos a falar da Temporada de Outono 2014, ouvi muitas vozes eufóricas sobre essa temporada, de fato, saiu coisa boa, mas até o momento não está lá tão comparável com a temporada passada:

Yowamushi Pedal

Começando com coisa boa, Yowamushi Pedal voltou (weeee Hime Hime Hime, Suki Suki Daisuke Hime!!!!) e se você ainda não assistiu esse anime está perdendo coisa muito boa. Não sei qual é vibe de anime de esporte de vocês, mas se é como a minha não conferir Yowamushi é pecado. Para as fujoshis, é fanservice certo (mas não pronto igua Free! e Kuroko).

Agora as estreias, tem duas estreias com alienígenas (três se você contar portais dimensionais), e isso é lindo, os três animes são muito bons:

Kiseijuu: Sei no Kakuritsu – pela sinopse eu não saquei muito bem sobre o que seria, tá, alienígenas parasitas, ok, e o que mais. O primeiro episódio foi sensacional, mas com duas ressalvas, achei desnecessária a apelação para a mão que se move sozinha ir direto no boobs (o alienígena nem sabia o que era aquilo e já foi apertando, serio gente, não tinha ideia melhor? Na boa, desnecessário). Achei o alienigena fofinho, me julguem.

Kiseijuu

Kiseijuu

Terra Formars – Baratas mutantes gigantes DE MARTE!!!! Sério, se isso não é motivo suficiente pra ver esse anime eu não sei o que mais dizer de convincente. Mas claro, apesar desse plot maluco o anime é bem sério e com as discussões mais profundas sobre sociedade, a nossa distorcida ideia da sobrevivência do mais forte, e é desgraçadamente realista. O que peca de mais são as tarjinhas pretas que eles colocam sempre que rola uma mutilação, em Tokio Ghoul isso já era irritante, aqui eles levaram a um outro nível de irritancia muito maior.

terra formars

A imagem cortou umas cabeças, será que foi minha mãe que tirou essa foto XD (provavelmente esse povo tudo vai estar morto logo logo, esse anime mata mais Shingeki no Kyojin)

World Trigger –  Não sabia lá muito bem o que esperar desse anime, mas como seria SciFi resolvi dar uma chance, abre um portal na cidade e dele começam a sair monstros gigantes que destroem tudo, quatro anos depois é como se esses monstros nem existissem, porque surgiu uma Organização chamada Border que roubou tecnologia dos alienígenas para usar contra eles (até agora ninguém sabe como ao certo). É sim, a velha historia dos não somos tão diferentes assim, e como as regras na sociedade priorizam os maus e fazem os bons sofrer (não é que eu não gosto desse tipo de abordagem, mas ela cria discussões absurdas). Achei o personagem principal muito legal e seu amigo alien a coisa mais fofa (sim, me julguem, o negocio nem começou e já estou inclinada a shippar).

World Trigger

Alem do lindo cenário da ficção cientifica temos estreias de Mundo Fantástico também, e uma delas eu quase deixei por conta das sinopses que se achavam por aí, como já fui muito enganada por sinopses acabei criando uma nova abordagem para os animes novos, ler os primeiros cap do manga, e está funcionando bem:

Nanatsu no Taizai –  Princesa procurando ajuda de um grupo de guerreiros lendários para salvar o reino de ser tomado pelos Cavaleiros Sagrados que tomaram o rei como refém e ocultam isso do povo dizendo que o rei está doente. Até eu já escrevi algo com essa temática (mas sem a princesa), é bem simples e dá abertura pra muito conflito, o anime é bom? Sim, até agora achei excelente, o personagem principal tem uma mentalidade um tanto distorcida que me agradou bastante, e magia, seres mágicos, mundo medieval fantástico ajudam bastante a dar um colorido a mais. A cena em que ele apalpa a menina enquanto ela dorme (cena que me deixou com pé atrás pra esse anime) na verdade foi muito bem colocada, ela combina com a personalidade do protagonista e o porquinho brigando com ele por isso foi no mínimo hilário, alias o porquinho indignado com a princesa boboca também foi uma sacada muito boa. Esse vale muito a pena.

Nanatsu no Taizai

Nanatsu no Taizai

Madan no Ou to Vanadis – Eu estou um tanto cansada de animes com mulheres semi nuas lutando com espadonas, algum dia esses animes vão me perder mesmo se tiverem um bom enredo, mas resolvi dar uma chance, não que eu não goste de ver mulheres semi nuas (pelo contrario), mas todo mundo sabe que não é possível lutar semi nua, nem muito menos de salto. Quando li sinopses não falavam nada sobre ele ser harem, mas não preciso ser gênio pra juntar um boy magia mais um monte de meninas semi nuas e fazer a matemática disso.

Madan no Ou to Vanadis

Gugure Kokkuri san – é bom, na verdade seria ótimo se não apelasse pra comedia idiota em momentos sérios. Taria mais pra shoujo que fantasia, mas o anime brinca com fantasia e eu ando numa vibe de anime com raposas por isso achei que devia tentar mais esse. A menina é uma graça, mas em geral achei o anime meio sem graça, não dá aquela vontade de “chega logo próximo episódio”. O encerramento é uma das coisas mais engraçadas e bem feitas que já vi.

Gugure-Kokkuri-san

Acho que rola um fanservice aí…

Orenchi no Furo Jijou – Tem gente putinha porque é mais um BL (aonde, só deus sabe porque de BL mesmo esse tem pouco) lendo o manga pelo menos, parece que tem bem mais fanservice que o manga. O que entristece é o tempo, não que seja premissa pra ser ruim, Senyu ta aí pra que todos vejam como um anime de 5min pode ser bom, mas poxa, esperar uma semana pra 5min é triste. Sereio na banheira, isso não tem como ser ruim. A serie Kono Danshi tem um também, mas Orenchi é bem mais comédia.

Aqui um sereio todo feliz no seu banho rosa!!!

Aqui um sereio todo feliz no seu banho rosa!!!

Aqui uns shoujos :

Shigatsu wa Kimi no Uso – Fui no que me disseram, elogiaram manga, estúdio, roteiro e outras mil maravilhas, vi o anime, é lindo de se ver mesmo, a história tava indo as mil maravilhas (alias muito boa mesmo) daí veio o final de episodio brochante, sério gente? A mesma apelação de sempre, cansaram não desse tipo de situação irreal e shoujonesca de comédia idiota? Já tem um só pra isso nessa temporada, vamo dar um tempo né? Desculpa o desabafo, fora isso o anime é bom, assistam.

shigatsu

Denki Gai no Honya san – Comédia pastelão ecchi retardada com pessoas que trabalham numa loja de manga. Se é bom? não. Faz você rir? As vezes. Mas sei lá, continua, vai que fica melhor.

honya san

Analise em Grupo – No Game, No Life

 

Olá leitores do Lyli Kouga’s Blog, geralmente trago pra vocês minha sinopses e opiniões sobre animes e mangas BL, mas como nem BL se faz um otaku e só uma opinião é a que vale, entrei pra um grupo de discussão que faz análises de diversos animes de diversos gêneros (sim quem sabe um BL pode aparecer), começamos agora e estamos pegando o jeito, mas eis aqui nossa primeira Análise em Grupo, sobre o anime No Game No Life:

 

no game no life

 

No Game No Life é uma série de light novel escrita e ilustrada por Yū Kamiya. Publicada pela Media Factory e impressa através da MF Bunko J. Uma adaptação em mangá com ilustrações de Mashiro Hiiragi começou a ser publicada na revista Monthly Comic Alive da Media Factory em 27 de janeiro de 2013. Uma adaptação em anime pela Madhouse foi ao ar em 9 de abril de 2014.

Os irmãos Sora e Shiro são inseparáveis, tanto no mundo real quanto no mundo dos jogos. Suas habilidades individuais combinadas fazem deles uma equipe invencível: Sora, com sua intuição e conhecimento surpreendentes; e Shiro, com sua inteligência que vai além de um prodígio gênio. Um dia, depois de derrotarem um misterioso adversário em um jogo de xadrez online, os irmãos recebem a oferta de seu oponente para renascerem em seu mundo, Disboard – um mundo de fantasia, onde tudo é determinado através de jogos. (sinopse, gentilmente retirada da Wikipédia).

 

Ed Senpai O anime tem muitos, mas muitos aspectos positivos. Citar o fato de ele ser de game, esperava algo a estivo SAO, mas me surpreendi muito a respeito dele. A inteligência dos “Brancos” é incrível, poderia dizer que os dois juntos são mais inteligentes que L e Kira, (apesar de eu ser fã do L). A história em todos aspectos é muito boa, o desenvolvimento também é igualmente bem feito.Tem aquele humor sério, que não é forçado, para dar aquela descontraída, mas quando a coisa é séria, é séria mesmo. Algo que eu poderia citar de controverso do anime seria o fato de eles sempre ganharem, não que isso seja algo negativo, mas sim algo que soa meio ”egoísta”. Fora isso em todo seu contexto o anime é bom. Pelo seu final, creio seriamente em uma segunda temporada, já que eles nem ganharam de todas as raças ainda.

Lyli Kouga Entre a Novel, o manga é o anime, eu prefiro muito mais o anime. Nessa minha pesquisa de No Game no Life que durou essa semana (já que eu não tinha visto esse anime, que foi um dos que eu descartei quando li a sinopse assim saiu) eu descobri que muita gente foi mesmo atrás dele por conta de se parecer um pouco com SAO, motivo esse de eu ter ficado meio longe dele, já que eu não curti SAO. Não só SAO, os animes com essa mesma roupagem não me parecem mais tão interessantes quanto antes, não vejo muita mudança de um pra outro. E acho que com No Game no Life a impressão foi a mesma. Não achei muitos pontos positivos, é bem lugar comum. Como uma novidade e ponto positivo cito a mudança do normal desejo de voltar pra casa que esse tipo de anime causa nos personagens. Pelo menos eu não senti nos dois vontade nenhuma de voltar pra casa.

Sobre eles sempre ganharem, eu não achei um protagonismo (como alguns disseram nos foruns que pesquisei) nem controverso, afinal como hikikomori e Neet que são respectivamente Sora e Shiro, eles não fazem muito da vida que não jogar certo, o Sora eu não sei, mas a Shiro é o que eu chamaria de genio (já que o Sora é mais velho e teve mais tempo de vicio) e não é segredo pra ninguém como são os chamados “gênios”, o mundo da ficção os adora, e os videos do youtube tão cheio deles.

Porque evitar o manga e a Novel, o manga é duas vezes mais ecchi que o anime, e a maior diferença: a Shiro, o anime não sensualizou ela como o manga, e sério eu até curto Shota e Loli, mas depende muito do caso, não acho que ver a calcinha, as coxas, o corpo de uma menina de onze anos seja algo saudável. Peitos são bons, mas animes ecchi são coisas da qual passo longe, não só porque animes não sabem como peitos funcionam, porque também eles tendem a extrapolar de mais os limites do real em termos de proporções anatômicas. Voltando, a Novel, talvez seja a tradução (embora eu tenha procurado mais de uma), mas é bem enfadonho de se ler, muitos diálogos, poucas descrições, uma ação atrás da outra grudadas em mais diálogos, minha experiência com Novels vem das BL, logo não sei ao certo qual é o estilo que as Ligth Novel seguem quando não tem esse gênero (que é bastante descritivo, mesmo com parágrafos não muito compridos e bem simplificados), mas eu senti uma falta de descrição tremenda na Novel de No Game No Life e um número de diálogos cansativo.

Deu pra notar que minha opinião sobre essa série é bem genérica, eu não gostei tanto assim dela (odiar, falar pra não assistir/ler, nunca, é um passatempo interessante) agora achei bem medíocre, gosto dos protagonistas, mas eles não causam a sensação de “estar no seu lugar” que a maioria dos animes com essa temática abordam (e que é a melhor coisa neles). Me estendi de mais, desculpem por isso.

Leena Desenvolvimento de personagens : Acho que as habilidades dos personagens foram bem desenvolvidas, a inteligência, agilidade, malandragem até, a dupla de principais é muito cativante, e conforme novos personagens vão aparecendo, você vai conhecendo a história de cada um deles e suas particularidades. Senti falta apenas da história dos personagens principais, ainda ficou meio em branco. O desenvolvimento da história do mundo em si é que acho que não foi bem desenvolvida, na questão das raças, ainda não foi bem aproveitada.

História: A história fala de dois irmãos, Sora e Shiro com incríveis habilidades em jogos, mas péssimos em se socializar, que acabam sendo “colocados” por um Deus em um mundo paralelo onde tudo se resolve basicamente e simplesmente por jogos. 

Criatividade: A ideia não é lá muito original, os personagens que são bons em jogos, estão dentro do mundo dos jogos, ou preso em um jogo. Ou personagens que vão parar em mundo diferente do deles.

Atende ao gênero de anime/mangá?: Acho que nos critérios de ação, aventura e fantasia, o anime atende muito bem a isso, não é um anime parado, acho que as cenas ficaram bem divididas, têm aqueles momentos de voltar e explicar de como e porque eles ganharam, o que é a parte genial.  É um anime que te prende muito na questão dos próprios jogos, como eles vão conseguir finalizar aquilo, que habilidades os irmãos irão mostrar? Questão de comédia, o anime é muito divertido, ás vezes peca um pouco para o fanservice, mas nada que incomode tanto.

Trilha Sonora: Achei a trilha sonora realmente muito boa, bem trabalhada, bons arranjos, a opening This Game é ótima pra o anime, a ending é mais fraca, mas nada que diminua o anime em si. No conjunto, a trilha foi bem trabalhada.

Killua Eu penso quase tudo igual ao Ed, como fazia tempão que não via anime nem sabia o que esperar, apenas absorvi.  A primeira coisa que aconteceu é que os brancos me conquistaram, é muito maneira a inteligência deles. Incrível como eles leem e preveem as reações de seus adversários.Quanto a outro aspecto, eu preferiria que tivesse menos fanservice, mas ri muito com eles também, acho que até foi bem colocado apesar da quantidade de cenas. Eles sempre ganharem me incomodou um pouco, mesmo assim, em que outro anime o protagonista ganha absolutamente tudo? Cara foi uma jogada legal e inédita.

 

Ps.: Deus Tet é lecau.

Bucca que trouxe pra nós a impressão de seu amigo dono do blog Papo de RPGista (aqui a matéria na integra http://paporpg.blogspot.com.es/2014/07/anime-no-game-no-life.html)

A história fala sobre a vida de dois irmãos, Sora (com sua intuição e conhecimento surpreendentes) e Shiro (com sua inteligência que vai além de um prodígio gênio). Inseparáveis, eles são viciados em games de todos os tipos, vivendo como reclusos sociais do pior tipo (hikikomori, no Japão). Dentro do mundo dos games, eles são conhecidos apenas como『  』 (Kūhaku, “espaço em branco”), um grupo de jogadores que jamais perde e de habilidade insuperável. Eis que então, após derrotarem um adversário misterioso numa partida de xadrez, eles são convidados a viver num mundo onde os jogos ditam as regras, sendo transportados para lá pela divindade local: Tet, o deus dos jogos. Juntos, os irmãos começam a sua jornada para resgatar a fraca raça humana dos Imanity e conquistar o mundo para, então, desafiar Tet para o título de Deus de Disboard, o mundo dos jogos.

A história pode parecer um plot padrão de histórias shonen a primeira vista, mas não se deixe enganar. Primeiro, os irmãos não são exatamente heróis. Eles desejam apenas competir, mostrar que são melhores que todos nos jogos (e o fazem com maestria e inteligência absurda, o que dá um charme único ao Anime). Segundo, eles não querem voltar ao mundo deles. De fato, eles mesmos brincam com isso no Anime, dizendo que essa seria a motivação mais óbvia. Entretanto, como reclusos sociais, eles não entendem o mundo normal, desprezando-o. Disboard, pelo contrário, faz todo o sentido para eles. Por que sair de lá? E que motivação poderiam ter para seguir em frente? Que tal se tornarem eles mesmos os melhores jogadores deste mundo, desafiando Deus em pessoa? Entendeu agora porque a história vale a pena? E sua execução é ainda melhor, carregada de humor, ação e inteligência. E põe inteligência! Até as tiradas de comédia dos irmãos são calculadas quando estão jogando, pegando seus adversários desprevenidos.

E a parte técnica? Bem, como um Anime de 2014, ele não poderia pecar em qualidade gráfica. De fato, ele possui uma identidade visual muito clara e fantástica, com arte rica em detalhes, principalmente nos olhos das personagens e no plano de fundo daquele mundo fabuloso, vibrante em suas cores vivas. As músicas são legais e o som não deve em nada a arte, provando ser mais uma obra com qualidade Madhouse.

Por fim, Disboard é um mundo fantástico impressionante, com peculiaridades interessantes, mas funcionando melhor como plano de fundo para a astúcia dos irmãos. Tudo está explicado, desde o fato de Tet ser o único deus dominante até o motivo de haver 16 raças conscientes (sendo classificadas num rank, como em games, baseado no seu potencial nato para magia. Advinha o rank dos humanos).”

 

ngnl

 

Alem desse anime, e das análises em grupo você pode encontrar outras análises individuais de cada membro no nosso grupo no Yoo!Minna: Análise Animes.

Especial de Dia dos Pais

Especial de Dia dos Pais

Papa I Love You

Papa.I.Love.You

Papa I Love You

A vida de Mayama Kaoru, vira de ponta cabeça quando seus dois sobrinhos batem na sua porta. Keigo de 16 anos e Akio de cinco anos foram abandonados por seu pai e despejados do apartamento onde moravam por não poder pagarem as contas. Essa foi a primeira vez que Kaoru soube que tinha sobrinhos, e ele não seria cruel a ponto de largar os dois sozinhos. E assim os três começam uma nova família juntos. Só que, um dia, assim de repente, Keigo beija Kaoru, isso seria um sinal de afeição ou o que? E que história é essa dele se recusar a ver Kaoru como seu novo pai?

Esse manga possui ainda mais uma história, que não tem nada a ver com a principal, sobre um professor de cursinho que recebe em suas aulas um aluno mais velho do que está acostumado a lidar.

E não precisa ficar triste e com saudades depois que terminar de ler, existe um outro manga, agora tendo como personagem principal Akio, dez anos depois, Baby I Love You.

Baby I Love You

Baby I Love You

 

Autor: Kazuhiko Mishima

Data de Publicação: 2008

Editora: Kadokawa Shoten

Revista: Ciel Très Très (Kadokawa Shoten)

Principais personagens: Mayama Kaoru, Keigo e Akio

Gênero: Yaoi, Shounen ai, Romance, Comédia

Público-Alvo: Shoujo, Shounen ai, Yaoi

Volumes Publicados: 1

 

Dear Gentle Papa

Dear Gentle Papa

Dear Gentle Papa

Em um dia claro e ensolarado de outono o melhor amigo de Oka Haruhiko, Misaki Kyoutarou, de repente solta “Estou saindo com uma pessoa”. Isso sim é que é surpresa, pois os dois são amigos de longa data e nunca que isso aconteceu. Empolgado para conhecer essa pessoa tão especial para seu amigo, e ao mesmo tempo desapontado por seu amigo ter arrumado uma namorada antes dele, que susto Oka-san não toma ao ver que essa pessoa especial para seu amigo é um garoto de doze anos chamado Ichii Nao. Seu amigo terá se tornado um pedófilo? Mas a coisa entre os dois parece ser séria e os dois querem que Oka-san os acoberte para que o pai de Nao não descubra sobre os dois. 

 

Autor: Yamato Nase

Data de Publicação: 2001

Editora: Tokuma Shoten

Revista: Chara (Tokuma Shoten)

Principais personagens: Oka Haruhiko, Misaki Kyoutarou, Ishii Nao, Hirofumi Nao.

Gênero: Yaoi, Shounen ai, Romance, Comédia

Público-Alvo: Shoujo, Shounen ai, Yaoi

Volumes Publicados: 2

 

 

Gochisousama!

Gochisousama

Gochisousama

Hiroto não podia imaginar o quanto sua vida mudaria ao dividir seu almoço com uma criança que ele conheceu no parque. O pai desse menino, Suguru, oferece a Hiroto um emprego em sua casa como faxineiro e cozinheiro, já que sua ultima empregada pediu demissão. Mas esse emprego é muito mais do que só limpar e cozinhar, como Suguru é um piloto e viaja voos internacionais, ele também precisa de alguém que fique em sua casa e cuide de seu filho. Mas existe um porem, Mamoru implora a Hiroto que este em hipótese alguma se apaixone por seu pai, já que foi por esse motivo que todas as outras empregadas desistiram. Pra Hiroto essa é uma regra fácil de se cumprir, mas e para Suguru?

Alem da história principal, esse volume possui ainda mais duas oneshots, a primeira onde o super gato, modelo e cobiçado por todas as meninas da escoa, acaba se apaixonando por um otaku que só se interessa por personagens em 2D; e a segunda é sobre Riku, que precisa ajudar a irmã gêmea e seu namorado a fugirem do irmão dele que é contra o relacionamento dos dois.

O otaku obcecado por 2D Oota Takumi

O otaku obcecado por 2D Oota Takumi

 

Autor: CJ Michalski

Data de Publicação: 2008

Editora: Takeshobo

Revista: Reijin (Takeshobo)

Principais personagens: Hiroto, Suguru, Mamoru.

Gênero: Yaoi, Romance, Comédia

Público-Alvo: Yaoi

Volumes Publicados: 1

 

Takaga Koidaro 

Takaga Koidaro

Takaga Koidaro

As memórias que Kurata Izumi tem de Takatsudo Shin, que datam da época que os dois estavam no fundamental, são do Shin dizendo para Izumi que ele nunca mais deseja vê-lo novamente. Foi um choque, já que para Izumi, os dois eram grandes amigos. Agora, Izumi é pai solteiro, e por um acaso seu filho acaba por se tornar melhor amigo do sobrinho de Izumi, por causa disso os dois tem de se encontrar novamente, mas parece que Shin não se lembra do que disse para Izumi. Não esquecendo de acrescentar que existe mais um personagem nessa história, Sawaragi, o cunhado de Izumi, que faz parte da Yakuza e tem uma forte ligação com Izumi e seu filho.

O cunhado de Izumi também tem seu papel como protagonista de um manga, que acontece alguns anos depois dos eventos em Takaga Koidaro, Aiso Tsukashi.

aiso no tsukashi

Aiso no Tsukashi

 

Autor: Aida Saiki (roteiro), Yamada Yugi (ilustração)

Data de Publicação: 2007

Editora: Taiyou Tosho

Revista: HertZ (Taiyou Tosho)

Principais personagens: Kurata Izumi e Makoto, Takatsudo Shin,  Sawaragi Kyousuke

Gênero: Yaoi, Shounen ai, Romance

Público-Alvo: Shounen ai, Yaoi

Volumes Publicados: 1

 

Koishite Daddy!

Koishte Daddy

Koishte Daddy

Saitou é um pai solteiro que trabalha duro para criar seu filho Rintarou. Recentemente ele tem a ajuda de seu vizinho Takahashi, que cuida do menino quando Saitou não está. O encontro dos dois não foi lá muito amigável, Takahashi acabar de romper com o namorado e este reagiu agressivamente, Saitou até queria deixar pra lá e não se meter nos assuntos de seu vizinho gay, mas Rintarou não deixou o pobre Takahashi todo machucado pra trás. Agora Saitou anda um tanto confuso, pois Takahashi está gostando de “brincar de casinha” com ele, até que ponto essa brincadeira pode chegar? E aqui temos uma fofa e doce história sobre uma família.

Rintarou não foi deixado de fora, ele é protagonista de seu próprio volume, Love Kids, onde ele acaba de coração partido, pois sua paixão de infância, o Takahashi é agora namorado de seu pai.

 

Love Kids

Love Kids

 

Autor: Kitazawa Kyou

Data de Publicação: 2011

Editora: Frontier Works

Revista: Daria (Frontier Works)

Principais personagens: Saitou Jirou e Rintarou, Takahashi Natsuki

Gênero: Yaoi, Shounen ai, Romance, Comédia

Público-Alvo: Shoujo, Shounen ai, Yaoi

Volumes Publicados: 1

 

Sorenari ni Shinken Nandesu

Sorenari ni Shinken Nandesu

Sorenari ni Shinken Nandesu

Yoshioka é um frequentador assíduo do restaurante onde Oosawa é cozinheiro, ele vem quase todos os dias e as vezes acompanhado, ele já trouxe ao restaurante vários namorados, mas nunca ficou muito tempo num relacionamento com nenhum deles, e Oosawa nunca levou Yoshioka muito a sério. Quando a filha de Oosawa, Chizu, fica doente ele começa a se questionar sobre sua capacidade de dar conta do trabalho e de criar uma criança, mas eis que surge Yoshioka oferecendo ajuda. Com o passar do tempo Oosawa percebe que Yoshioka é bem diferente daquilo que ele achava e seu desprezo por ele lentamente vai se transformar em outro tipo de sentimento.

(os personagens Yoshioka e Oosawa tiveram sua primeira aparição em outro trabalho dessa mangaka, Yachin Hanbun no Ibasho Desu, nos capítulos 4 e 5, eles aparecem agora como personagens principais)

personagens principais de Yachin Hanbun no Ibasho Desu

personagens principais de Yachin Hanbun no Ibasho Desu

 

Autor:  Asou Kai

Data de Publicação: 2008

Editora: Houbunsha

Revista: CitaCita (Houbunsha)

Principais personagens: Yoshioka Seiichi , Oosawa Naoki e Chizu.

Gênero: Yaoi, Shounen ai, Romance

Público-Alvo: Shoujo, Shounen ai, Yaoi

Volumes Publicados: 2

Os animes da temporada de verão que eu acompanho e motivos para você fazer isso também

Os animes da temporada de verão que eu acompanho e motivos para você fazer isso também

Vamos em ordem alfabética porque assim fica mais organizadinho

Ao Haru Ride

Gente esse menino é ainda mais bonito que o Haru de Tonari no Kaibutsu kun, aí é covardia né.

Gente, esse menino é ainda mais bonito que o Haru de Tonari no Kaibutsu kun, aí já é covardia né.

Depois de ler as sinopses que saíram sobre esse anime eu logo vetei, pelo que li parecia ser um shoujo bem besta, depois de um tempo acabei lendo uma outra sinopse do manga de Ao Haru Ride e era completamente diferente, resolvi ler o primeiro capítulo, curti e passei pro anime. Duas pessoas que no passado se amavam e por conta de um mau entendido não ficaram juntas, um achou que o outro não sentia o mesmo e problemas familiares de um dos lados separou-os sem que o mau entendido fosse resolvido…não, isso não é Sekaiichi Hatsukoi ~ Onodera Ritsu no Baii. Mas é muito parecido, mudando o fato dos dois protagonistas estarem no ensino médio e não no local de trabalho. Falando sério, a semelhança chega a ser assustadora, mas assim como Sekaiichi foi ok, esse anime também é um ok. Ah, o protagonista é lindo! 

Bakumatsu Rock

Ryoma com sua guitarra maneira

Ryoma com sua guitarra maneira

Primeiro pra quem não sabe Bakumatus foi o período que abrange os últimos anos do período Edo, que corresponde ao final do Shogunato Tokugawa na história do Japão. Esta fase é caracterizada por grandes eventos ocorridos entre 1853 e1867, quando o Japão terminou a sua política de isolamento conhecida como sakoku, e houve a transição dofeudalismo sob o comando da figura do shogun iniciando o período Meiji. E a Shinsengumi, uma unidade de policia especial da época. Corridinho, sim, arrancado da Wikipédia, hell yeah, preciso me aprofundar nisso pra entender esse anime…eh…não, só pra curiosidade geral mesmo, alias, se você assistiu Rurouni Kenshin acho que deve ter tido uma pincelada nesse assunto melhor ainda do que aqui.

Porque assistir Bakumatsu Rock? Pegue esse período, a Shinsengumi, boys band, uma guitarra, um baixo e uma bateria. O que essas coisas tem em comum? Esse anime! É uma releitura completamente nonsense dessa época com Sakamoto Ryouma, Shinsaku Takasugi e Kogoro Katsura tentando tocar o seu rock quando o governo japonês permite apenas a musica do paraíso (tocada pela Shinsengumi). É muito engraçado e a arte é muito bonita. É mais um jogo que virou anime, nessa temporada teve uma tonelada deles.

Barakamon

Handa sensei e a super fofa Naru

Handa sensei e a super fofa Naru

 

Quando saíram as sinopses da temporada de verão esse foi o anime que mais chamou minha atenção e o que mais eu aguardei na ansiedade pra assistir. Só posso dizer que superou minhas expectativas. Eu meio que esperava uma coisa séria com ares descontraídos, só que é bem mais descontraído do que eu pensava. Barakamon me deu a impressão de ser aquele clichê do cara da cidade que vai pro campo relaxar e acaba descobrindo que lá e mais agitado do que parece, e também um outro lugar comum onde as crianças ajudam o adulto babaca a aprender a viver. Eu adoro esses dois clichês, eles bem trabalhados são ótimas histórias. Barakamon é isso? Sim! E o que mais? Comecemos com essa imagem:

super soco no velhinho juiz

super soco no velhinho juiz

Não, eu não estou incentivando nenhum tipo de agressão ao idoso, longe de mim. Mas com isso a gente já vê que o protagonista, o caligrafista Handa Seishu, não é lá muito normal, e a menina Naru, também não é o que se espera, ela é bem maluquinha também. Com personagens muitos carismáticos e um clima muito descontraído Barakamon é um anime muito gostoso de se assistir.

DRAMAtical Murder

Olha o Sora...ops o Aoba

Olha o Sora…ops o Aoba

Não, eu não joguei o jogo. Por que? Já joguei alguns joguinhos no estilo visual novel e sinceramente, não gostei. Virou uma febre muito grande, e eu não a acompanhei, agora com o anime meio que foi diferente né, não dá pra dizer não a um anime que pode ser bom.

A animação, gzuis, dói as vezes, a história, até agora meio normal pra mim, lembrou Sukisyo, será que é porque o Aoba parece com o Sora e os dois compartilham o fato de terem personalidade dupla? O Noiz é uma graça! E ainda estou esperando pra entender o enredo. Desculpem super fãs de DRAMAtical Murder, até agora não vi lá grande coisa. Esperemos.

Free Eternal Summer!

O Rei sempre será meu favorito ^-^

O Rei sempre será meu favorito ^-^

É a continuação do anime Free! Muitos esperavam com ansiedade, na verdade eu nem esperei nada, o fansub de Free! é bem ativo, então nem pareceu que acabou. Pra uma shippante de ReiGisa até agora tá tudo muito linduxo. Quanto aos novos personagem, o Sousuke achei ele meio forçado até agora, o Momo é uma gracinha. Talvez toda essa minha estranheza com o pobre tubarãozinho baleia seja porque eu seja uma AiRin hardcore. Estou aberta a dar uma chance a ele, quanto a entregar o Rin pra ele, essa já é uma história completamente diferente!

Glasslip

Só acho que a protagonista tem olhos MUITO grandes.

Só acho que a protagonista tem olhos MUITO grandes.

Não gosto muito de shoujos, isso não é novidade pra ninguém, mas quando li a sinopse esse me pareceu um daqueles shoujos bem suaves. Se continuou assim depois que eu assisti? Sim, ele é bastante tranquilo, a historia de cinco amigos, quatro deles apaixonados, uma sem saber de nada, um estudante transferido e um tantinho de fantasia surpresa. É um perfeito Comfort Anime. Sem aquele enredo macarrônico dos shoujos comuns, tudo bem tranquilo. Amei! Achei super interessante o gatilho da protagonista ser o vidro. E já estou shippando vários casais (vulgo todos).

Haikyuu!

Esse Hinata é uma fofura!

Esse Hinata é uma fofura!

E Haikyuu! continua firme e forte nessa temporada de verão, agora os meninos corvos vão para competições entre escolas. O Hinata continua a coisa mais gracinha do universo e o Kageyama ainda não aprendeu a sorrir sem assustar todo mundo. Não sei se é porque eu gosto mais de vôlei do que de basquete, mas eu gostei mais de Haikyuu! do que de Kuroko no Basuke.

Hanayamata

Os kimonos que aparecem nesse anime são lindos!

Os kimonos que aparecem nesse anime são lindos!

Hanayamata me pegou pela sinopse por ser sobre um clube de dança e por ser só com meninas, tipo um pseudo shoujo ai. Aprendi com esse anime o que é Yosakoi, e chegou a doer no kokoro de dozinha da protagonista, quem nunca se sentiu assim, como se todos a sua volta fosse incriveis e você fosse só uma pessoa normal? Achei tão fofinho a Naru achar que a Hana é sua fada madrinha. A Hana é uma doidinha que encanta. Ainda não sei se shippo as duas ou a Naru com a Yaya, ou com a Tami Oneechan. Isso tá virando quase um harem Naru pra mim, não sei quem eu shippo.

Kuroshitsuji Book of Circus

A roupa do Ciel ficou tão linda nesse arco!

A roupa do Ciel ficou tão linda nesse arco!

Depois da Segunda Temporada deprimente acho que quiseram se redimir e fazer uma versão animada de um dos melhores arcos do manga, só pode. Não tem nada a ver com a segunda temporada, não é uma continuação, é, como eu disse antes, um adendo a primeira temporada. Sebastian e Ciel infiltrados num circo pra descobrir o mistério acerca do desaparecimento de crianças. Trazendo um pouquinho do passado do Ciel a tona. Eu adoro esse arco, lógico que vou assistir, mesmo sabendo o final! Ah, e acho que já devo ter dito isso varias vezes mas, eu amo o Snake, ele é muito fofinho.

Love Stage!

Esse Izumi e essa cara de Uke dele.

Esse Izumi e essa cara de Uke dele.

Um manga yaoi famoso, feito pela dupla Taishi Zaou (Mikiyo Tsuda) e Eiki Eiki. Uma amiga me recomendou, eu li, gostei? Nem tanto. Me crucifiquem, mas eu não sou muito fã nem da Taishi Zaou nem da Eiki Eiki, li muita coisa das duas e acho o trabalho delas bastante plástico, a arte é linda, a história é só OK. Vou assistir Love Stage? Vou, porque eu amo o casal secundário, eles são uns fofos. Tô só esperando uma cena dos dois. O Izumi é um banana e o Ryouma um sem noção, ou seria o contrario?

Momo Kyun Sword

Momo_Kyun_Sword,_Anime_Poster

PEITOS!!!!

Uma antiga lenda japonesa conta a historia de um casal de velhinhos que encontrou um pêssego gigante num rio e que de dentro dele saiu um menino que cresceu e lutou contra demônios.

Já vi animes com versões dessa lenda, essa é uma versão ecchi. Mas Lyli você não odeia animes ecchi? Sim, na maioria das vezes. Mas vamos dar uma chance à uma lenda antiga japonesa. É um tantinho Mahou shoujo essa versão, é legalzinho pra um ecchi, mas ainda passa aquela sensação chata de que esses otakus virgens não sabem como peitos funcionam! Definitivamente não é assim. Os peitos da Momoko irritam bastante. Mas a história é bonitinha (e a luta contra o polvo no episódio passado foi deveras interessante…que…a carne é fraca viu) e tirando alguns peitos enormes e fora da realidade a arte é bonita…O rei Oni bem que podia aparecer mais vezes (Lyli’s muscle fetiche detected!!!). O encerramento é super cuti cuti e fica na sua cabeça.

PriPara

um anime muito colorido

um anime muito colorido

Um jogo que virou anime. Mais um de musica? Bem isso. Alias, tá difícil de achar fansub que faça esse. Acho que não levaram ele muito a serio. Eu achei gracinha. Tem um ar Mirmo Zibang, Beyblade, Yu-Gi-Oh! de coisa feita pra ganhar dinheiro em cima do produto do anime que do anime em si, mas eu gostei do jeito que ficou fiel à um jogo. Um paraíso onde meninas podem ser ídolos da musica. Japonês adora essas coisas de ídolos né. Só nessa temporada tem três animes interessantes sobre o assunto.

Sailor Moon Crystal

as vezes acho a cabeça da Usagi muito grande nessa nova versão.

as vezes acho a cabeça da Usagi muito grande nessa nova versão.

Eu amava Sailor Moon quando criança, ainda amo. Mudou muita coisa dessa nova versão pra antiga? Não muita viu, achei que o impacto seria maior. Mas algumas das mudanças foram bem irritantes, gostava da Serena escandalosa gritando com o Darien, agora a coisa ficou mais shoujonesca e ela ficou toda Doki Doki perto dele. E afinal, pra que cargas d’água o Tuxedo Mask fica zanzando pela rua de smoking? A Ami ainda é a mesma fofinha de sempre.

Shounen Hollywood

que meninos coloridos

que meninos coloridos

Li a novel, nem. Vou ler, quem sabe. Anyway, o anime é 15 anos depois com o treinamento de um novo grupo que se tornará a segunda geração dos ídolos Shounen Hollywood. Mais um com ídolos, e dessa vez Boy Band. Eu ri muito, mais muito com o primeiro episódio. Ansiosa pelos próximos.

Tokio ESP

quanta gente numa imagem só

quanta gente numa imagem só

Aquele primeiro episódio me deixou bem confusa, afinal não era um anime duma menina que seguiu um pinguim e de repente virou uma super humana (ou como chamando no anime, uma ESP)? Mas depois eu achei super foda começar assim, pelo fim. Tá, você já sabe pra onde a historia vai se desenrolar, mas o interessante é como e também descobrir quem são essas pessoas. Ainda estou meio no escuro, mas a parte do xmen (ops ESP) herói tá sendo muito bem mostrada, que não é só sair por aí dando uma de Inimigo do Crime e tá tudo bem, tem consequências, e elas podem ser terríveis. O herói que não quer ser herói, mas que acaba sendo levado a esse caminho! Ah, adoro quando arquétipos são mostrados em animes, dá tão mais certo que tentar inovar e fazer merda!

Tokio Ghoul

Ui, que meda!

Ui, que meda!

Não vi, alias, terror não é mesmo a minha praia, mas sinto que assim como Noragami, as redes sociais vão acabar me obrigando a dar uma chance pra esse daí.

Acabou? Ufa!!!! Achei muito legal essa temporada estar cheia de coisa boa. Mas meu, quanto anime. Chega o fim de semana e tem uns 15 episódios novos pra assistir.

É isso povo bonito. Demorou um pouco dessa vez, mas meu, olha quanto anime!

A Homofobia no mundo dos Otakus Brasileiros

A Homofobia no mundo dos Otakus Brasileiros

E nesse Yaoi Day trago um assunto deveras polêmico!

Não vejo diferença nenhuma entre essas três imagens

Não vejo diferença nenhuma entre essas três imagens

Muita dicussão se criou, entre meninos principalmente, sobre o motivo das meninas gostarem tanto de BL (Boys Love), mas uma questão ainda mais polemica e séria é o ódio (sim, ódio) que alguns tem contra o Shounen ai / Shoujo ai. Não gostar do gênero é uma coisa, ninguém é obrigado a gostar de alguma coisa, não quer ler mangas com relações homossexuais, não leia, simples, rápido e fácil.

Onde mora o problema é o discurso de ódio de alguns contra esses gêneros e pior, contra personagens homossexuais.

Afirmações como:

“Que nojo!”

“Aff tira isso aí!”

“Que vergonha, quero anime de macho, não isso aê!”

“Os comentários me salvaram de ver essa merda””

“Aff, se fu*&#, pensei que fosse anime hetero, mas que mer&%!”

“Queimou meus olhos!”

“Adoro yuri, mas odeio yaoi.” / “Adoro yaoi, mas odeio yuri.”

Correm soltas em grupos e paginas de animes, afinal moderadores querem agradar gregos e troianos e querem também compartilhar um pouco do seu próprio gosto, então o pobre coitado precisa arcar com comentários que alem desses acima vão continuando com:

“Essas putaria ai eu não gosto!”

“Depois dessa vou sair desse grupo/página.”

“Odeio quando fazem essas zueiras sem graça.”

“Estragou minha infância!”

“Chega de viadagem!”

Todos esses comentários foram retirados de paginas e grupos no facebook e outras redes sociais, não inventei nada, posso até ter melhorado o portugues de alguns.

Então vem a pergunta: qual o problema com eles? Todos, sem nenhuma exceção, foram de caráter violento e homofóbico. Não curtiu ver um cara beijando o outro, problema seu, literalmente problema seu, não há nada de errado com isso, não curtiu ver uma menina beijando a outra, mais uma vez seu problema. O moderador não tem nada a ver com a sua intolerância, agredi-lo por compartilhar uma imagem que demonstra o amor entre duas pessoas é um ato de ódio muito feio.

Outro problema seriíssimo é a raiva que sentem ao ver seu personagem de anime favorito numa fanart homossexual com algum outro personagem, como se isso arruinasse a imagem que ele tem do personagem em si. Agora me responda meu caro adolescente (ou adulto) homofóbico, o que muda na sua vida se o personagem é ou não homossexual? O que muda no anime, o que muda na personalidade dele? Absolutamente nada. Não há argumento que justifique sua raiva para uma imagem do, por exemplo, Luffy x Zoro ou Zoro x Sanji ou Robin x Nami, ao invés de Luffy x Boa, Luffy x Nami, Zoro x Robin, Sanji x Nami.

São todos casais hipotéticos, nenhum deles existe no anime, a existência de um fandon pra cada um deles não afeta a personalidade nem o andamento do anime. Sua raiva não tem fundamento. Raiva contra personagens heteros serem postos como gays em fanarts ou fanfics, como talvez, Goku e Vegeta, também não tem fundamento, afinal, se eles são heteros no anime, o que o fato de fazerem fanfics e fanarts desses personagens gays vai mudar no anime? O que vai mudar no seu jeito de ver tal personagem? Nada. Nada muda.

Discursos de ódio contra fandons e casais feitos por ele só prova que você é um babaca homofóbico e machista (isso pra ambos os sexos). E dizer que gosta de yuri, mas não gosta de yaoi (ou vice e versa) na verdade não tem problema nenhum, gosto é gosto, há quem curta uma pegação entre mulheres e ache isso excitante, há quem ache dois homens se pegando excitante… Isso vai da sexualidade de cada um.

Mas dizer que gosta de shounen ai por ser um gênero que prega o amor de maneira pura e doce, que não tem preconceitos e ama ver o amor ser conquistado mesmo com dificuldades e acha lindo tudo isso, te torna um puta dum hipócrita quando diz que não gosta de shoujo ai (ou o contrario), admita que tu gosta de ver as mina e os cara se pegando que fica menos feio pra você.

O que isso tem a ver com animes, mangas e a cultura otaku? TUDO. Se queremos respeito por nossos gostos, primeiro precisamos aprender a respeitar. É isso, e aqui fica minha dica, cuidado com a palavra “MAS”, ela entrega os homofóbicos machistas, não quer ser um, não a use de maneira incorreta.

Nesse Yaoi Day (primeiro que comemoramos) vamos parar pra pensar e refletir um pouco sobre o que dizemos e como isso reflete nos outros. Respeito é bom e todo mundo gosta!

Hourou Musuko

Hourou Musuko 

 

hourou

 

Quinta série. Momento que entramos na puberdade e a inocência da infância fica para trás.

Nitori Shouichi e sua nova amiga Takatsuki Yoshino são os típicos pré-adolescentes, amados por suas famílias e com bons amigos na escola. Mas os dois compartulham um segredo que pode acabar com esse equilíbrio: Shiuchi é um menino que quer ser uma menina e Yoshino é uma menina que quer ser um menino.

Escrito e ilustrado por Shimura Takako, conhecida por seu jeito sutil de lidar com temas LGBTTT, ela usa de um humor suave e muita sensibilidade para traçar a trajetória desses dois personagens em sua jornada para se descobrir.

Classificado como Seinen, esse é um romance diferente do que se encontra em shoujos, é mais profundo, foca também em seus personagens secundários, ninguém é bom, ninguém é mau, são todos humanos. Diferente dos costumeiros gender-bender que se encontra muito em shoujos, dessa vez a pegada do manga é mostrar um personagem que não foi obrigado a se travestir, que na verdade quer isso, porque seu gênero não condiz com o que ele é por dentro. Bonita história, vale a pena conferir. 

Autor: Shimura Takako

Data de publicação: 2002 (já finalizado no Japão)

Editora: Enterbrain (serializado nos EUA por Fantagraphics)

Revista: Comic Beam 

Principais Personagens: Nitori Shouichi, Takatsuki Yoshino.

Gênero: Seinen, Troca de Gêneros, Drama, Romance, Vida Escolar.

Número de volumes: 15

Minhas apostas para a Temporada de Primavera

Minhas apostas para a Temporada de Primavera

E a primavera chega junto com as arvores de cerejeira florescendo dando adeus ao inverno frio e nevado! No Japão é claro, porque aqui o inferno que estava esse verão finalmente passou e o doce friozinho do Outono paira no Hemisfério Sul. Mas a temporada é de primavera e céus tem muito anime novo saindo e muita continuação também. Quem já deu uma olhada na lista deve ter elegido seus preferidos ou mesmo feito uma lista pra acompanhar e ver o que é que rola, eu também fiz a minha, algumas continuações e animes novos entraram na roda, a maioria eu nem cheguei perto só pela sinopse, mas alguns eu resolvi arriscar. Cá estão minhas apostas para a Temporada de Primavera desse ano:

Continuações:

Yowamushi no Pedal Onoda Sakamichi é um otaku que gosta tanto de animes e de colecionar figures que ao invés de gastar dinheiro com metrô e trem ele vai de bicicleta até Akiba todo fim de semana economizando pra comprar seus figures, numa bicicleta de cestinha ele vai da sua casa até o distrito de Akihabara, que são 90 kilometros. Ao descobrir que o clube de animes de sua nova escola foi fechado ele faz de tudo pra conseguir reerge-lo, até disputar uma corrida com o experiente ciclista que planeja entrar pro clube de ciclismo da escola, Imaizumi. 

TB Yowamushi-Pedal

Naruko, Onoda, Imaizumi

Diferente da Otaku de Watamote, o protagonista otaku da vez é uma fofura só, tá, ele é chatinho as vezes, mas é o tipo de personagem que encanta as pessoas com seu charminho tímido e ao mesmo tempo impressiona pela sua dedicação. Como qualquer animes esportivo Yowamushi no Pedal trata de trabalho em equipe e confiança, e cada personagem tem seu papel importante não só no time como na formação do protagonista. Devo admitir que desde Over Drive que eu não via um bom anime esportivo com a temática ciclismo e dessa vez esse anime foi tão empolgante que depois de ver os primeiros episódio eu não aguentei e corri pro manga.

Nobunaga The Fool As estrelas do Oriente e do Ocidente um dia foram unidas pelo pulso do dragão que abrangia os céus, mas agora, imergidos em grandes guerras esses dois mundos correm perigo,O retorno da super-tecnologia conhecida como “tesouros sagrados” pode revolucionar a atual condição do mundo, mas além da menina herege ninguém sabe disso. Jeanne Kaguya d’Arc, uma menina da Estrela Ocidental, teve a visão celestial do nascimento do “Rei Salvador”, que irá salvar o mundo. Então ela embarca em uma viagem até o Planeta Oriental junto com Leonardo Da Vinci e acaba se deparando com o conhecido como Oda Nobunaga, conhecido por todos como Tolo.

TB Nobunaga

Oda Nobunaga

Mecha….eu sempre odiei Mecha…Gundan, Gundan Wing, Gundan Seed, Code Geas, Kanazuki no Miko, todos eles são marquinhas vermelhas na minha vida, não gostei de nenhum. Sempre parece que tudo é motivo de entrar no Mecha e quebrar tudo, alem dos longos monólogos irritantes nos cockpits. Mas essa mistura de era antiga, fantasia e Japão antigo está dando muito certo pra mim, até agora não tive muito do que reclamar. Na verdade até tenho, os nomes dos Mechas, céus cada nominho que vou te contar, o único que salva é o Goku.

Novos animes:

Akuma no Riddle – Ichinose Haru estuda numa escola particular, a Academia Myoujou, e é alvo de doze assassinas disfarçadas como alunas. Azuma Tokaku é uma aluna transferida e uma assassina que inicialmente deve matar Haru, mas que acaba gostando dela e decide protegê-la das outras assassinas.

TB Akuma

Azuma Tokaku e Ichinose Haru

É um daqueles animes de Battle Royale que esta tão na moda ultimamente, eu não fui muito na onda dessa moda, não indo nem um pouco com a cara de Mirai Nikki nem Dangan Ronpa; se é assim afinal o que me interessou nesse anime? A sinopse mesmo, essa temática Yuri sempre chama minha atenção (por que será, né?) custa nada dar uma chance pra um Shoujo Ai, se bem que ainda não foi bem especificado se esse é o gênero desse anime ou não. Até o momento o clichê personagem fria x personagem kawaii tem dado certo. Esperemos.

 Abarenbou Rikishi! Matsutaro – A história é sobre Matsutarou Sakaguchi, um homem bruto dono de uma força muito acima da de pessoas comuns. Ele nunca proferiu palavras como “trabalho duro”, “ambição” e “sonho”, o oposto de um típico protagonista de shounen; contudo, ele é mais forte do que qualquer um e inigualável no sumô.

TB Abarenbou

Sumo? Sumo? Sim, sumo. Nunca entendi muito bem qual é a dessa arte marcial japonesa e espero que esse anime ajude nesse quesito, alem de ser um anime esportivo (e eu amo esse gênero) é bastante comédia e une mais essa referencia histórica do Japão por se passar na era Showa. O protagonista anti-heroi até o momento ganhou minha atenção.

Blade and Soul – Aruka é uma assassina do Clã Tsurugi. Ela está numa jornada para encontrar Jin Valel, a mulher que assassinou seu mestre, Ron. Jin éuma mulher-demônio que controla a Energia do Caos e mata sem ressentimentos. Em sua jornada, Aruka encontra três mulheres estranhas, as três são ótimas guerreiras à sua própria maneira e ela também lida com o desejo de seu finado mestre de que deixe a vida de assassina para trás. O anime é uma adaptação do MMORPG coreano, Blade & Soul.

TB Blade

A de cabelo branco é a Alka…ou Aruka como os japoneses dizem

Sendo um anime inspirado num MMORPG a protagonista segue bem o perfil do jogador mudo que precisa dos NPC’s pra falar, embora fale,  Alka fala bem pouco e chega a ser estranho ver um anime desse gênero sem um protagonista masculino ou sem um escada masculino acompanhando a protagonista. Isso, por si só, seria motivo suficiente pra acompanhar esse anime, mas acrescente o fato de que todos os personagens fodões são mulheres e pronto, passamos pro lado Yuri da força e mais um ponto pra esse anime. O que peca? O que irrita? Os peitões….digo, eu amo peitos e peitões, mas cá entre nós, qualquer um sabe que deixar a pele a mostra assim é perigoso na hora de lutar, pra que uma armadura de placas toda elaborada se ele deixa a mostra o peito e a barriga? Bem, mas o que esperar de algo inspirado num MMO? Ignore os peitões (o que é meio difícil pois eles são presença constante) e você tem um ótimo anime.

Haikyuu!! – Hinata Shouyou, após assistir uma partida de vôlei encanta-se pelo jogador conhecido como “Pequeno Gigante” e junta-se ao clube de vôlei na sua escola, no ensino fundamental, onde ele acaba sendo o único membro. Depois de encontrar novos membros, eles entram no torneio do ginasial, onde eles encontram o “Rei da Quadra”, Kageyama Tobio. Apesar de terem perdido, Shoyou ainda está determinado a alcançar o topo e realizar sua vingança contra Kageyama. Ao entrar no colegial, ele recebe uma grande surpresa: ele e Kageyama estão na mesma escola e no mesmo clube!

TP Haikyuu

Hinata Shouyou e Kageyama Tobio

Mais um esportivo! Acho que esse veio pra recolher as fãs de Kuroko no Basuke e ver se elas aprovam o vôlei. Eu sempre amei vôlei e animes esportivos, até o momento é meu favorito da temporada, o personagem principal é uma gracinha e faz qualquer um torcer por ele, o seu par romantic….opa, rival, agora companheiro de time, tem aquela obscuridade e é um tsundere nato. Uma aposta bem fujoshi, não tem como não shippar os personagens principais, eles tem uma química muito boa.

La Corda D’oro ~ Blue Sky – A terceira parte da famosa série “La corda d’oro” e baseada no jogo de simulação de namoro “La corda d’oro 3″, o anime “La corda d’oro –Blue Sky-” se foca na protagonista Kanade Kohinata, sua entrada para a academia Seiso e sua participação num concurso musical em grupo.

TP Blue Sky

Kohinata Kanade e alguns dos vários meninos do anime.

Eu geralmente odeio shoujos, principalmente os de Harem às avessas, mas o primeiro La Corda D’oro foi uma exceção, os personagens masculinos são muito bem trabalhados e a protagonista não me dá aquela vontade de quebrar a cara dela, as intrigas são bem colocadas e tudo fica muito próximo do real (mesmo com um violino mágico e fadinhas!). Também inspirado no game, agora na sua continuação, tudo indica que Blue Sky acontece após os personagens da primeira fase se formarem, a protagonista também não é irritante, e dessa vez tem o dobro de personagens masculinos, será que vai dar pra cada um ter sua personalidade própria e sua vez no anime? Quem sabe, até o momento está sendo bem divertido de assistir.

Seikoku no Dragonar – Aprender a montar e domar dragões é algo natural para a maioria dos alunos da Academia Ansullivan Dragonar, menos para o calouro Ash Blake, que é conhecido pelos colegas de classe como o “garoto problema número um”,ele é a piada da escola porque, apesar de sua grande marca em forma de estrela que marca ele como um futuro mestre dragão, ele não tem nada que prove isso, afinal seu dragão nunca apareceu.. Certo dia, o dragão de Ash desperta com glória total, mas aparece de uma forma diferente de qualquer dragão já visto antes, na forma de uma linda garota! 

TP Seikoku

Como dá pra notar o dragão é a menina do fundo, e o Ash é o menino de cabelos castanhos na frente.

Pensei comigo, shoujo, dragões, pode até que dê certo; primeiro episódio, impactante, protagonista comum do tipo “escolhido”, sofrendo bullying por ser diferente e tals, na cara que ele iria ser o fodão que todos descobrem depois, mas até legalzinho o começo (ignorando os sonhos bizarros do cara); corrida de dragões, uma personagem feminina forte, um monte de clichês um atrás do outro, mas que até davam pra engolir. Mas depois do segundo episódio a coisa ficou bem ruinzinha mesmo, nem terminei de assistir, não vale a pena.

Sidonia no Kishi – Se passaram cem anos desde que Gauna, uma estranha raça alienígena sem nenhum método de comunicação conhecido, destruiu o sistema solar. Uma porão da humanidade conseguiu escapar usando enormes “naves semeadoras” como Sidonia, que permitiu que mantessem a população enquanto vagavam pelo espaço. Tanikaze Nagate é um jovem que foi criado nas entranhas da nave. Quando ele começa o treinamento para pilotar armas robóticas gigantescas conhecidas como Gardes, Nagate é confiado a pilotar a lendária unidade conhecida como Tsugumori. 

TB Sidonia

Tanikaze Nagate e Tsugumori

Opa, Mecha de novo? Bom, tem alienígenas, eu adoro alienígenas e a sinopse deu um ar de The Legend of Blue Wolves (esse é velho pra caramba e claro que sem o lemon) que me atraiu. Depois de assistir, realmente lembra bastante, com a diferença que a Terra foi destruída e agora eles moram num lugar esquisito. Alem do Blue Wolves ele me passa uma ideia de Shingeki no Kyoujin e Evangelion, até o momento curti bastante o protagonista e tem uns personagens bacanas, esse parece promissor, veremos.

Soul Eater Not! – Soul Eater NOT! é um spin-off de Soul Eater. A história fala de Harudori Tsugumi, uma nova aluna na Shibusen, que, antes de se ver em busca de glória e fama, precisa arranjar um parceiro e sobreviver aos métodos de ensino de um deus da morte lunático!

TP SOU EATER NOT!

Meme e Anya ao fundo e Tsugumi em baixo

Sou Eater? Só que não! Mais um que me chama pelo conteudo Yuri, se bem que a saudade da Shibusen também falou alto, por que não um anime sobre a vida escolar na Shibusen? Olha, pode dar muito certo como muito errado, apostando umas fichas nesse pra ver o que é que rola. Também tem alto conteúdo Yuri.

Dia Nacional do Yaoi 2014!!!!

Ano passado falamos de nosso gênero de yaoi favorito, esse ano falaremos do gênero tabu/pouco visto em yaoi favorito, bem como meu gênero de yaoi favorito é o yaoi tabu acho que falei dele no post do ano passado, mas bem, repetir post fica chato né, então vamos pegar só um dos gêneros tabus que me agradam muito e que é terrivelmente difícil de se achar:

Seme/Uke gordinho/gordo mesmo…

Yone chan é tão pequenino que é menor que os Girassóis

Ano passado eu vim com o post (https://lylikouga.wordpress.com/2013/01/08/dia-nacional-do-yaoi/) falando que não havia nenhum yaoi/shounen ai com uke ou seme gordinho e dei somente alguns pseudo gordinhos, ou gordinhos emagrecidos, ou gordinhos emagrecidos só pro sexo, esse ano eu vou trazer um shounen ai que encontrei recentemente e que tem basicamente tudo que eu estava procurando!!!

Gordinhos também amam!

Hoppe Ni Himawari (Mita Ori) – Yone chan sempre admirou seu colega de classe Arai por ele ser um cara alto, extrovertido e capitão do time de beisebol, um contraste grande já que Yone chan é baixinho, gordinho e faz parte do clube de jardinagem. Um fantasma e seu ultimo desejo intrigam os alunos e Arai tem um plano que inclui Yone chan para fazer esse fantasma poder descansar em paz, mesmo com medo ele aceita o desafio emocionado por seu colega ser tão prestativo e solicito, mas será mesmo?

Tão fofinho, vontade de apertar, nem o Arai aguenta ficar só na vontade.

Posso dizer que essa foi uma das coisas mais fofas que já li! E poxa, só três capítulos, um volume só desses dois seria muito bem vindo! Gosto ainda mais desse manga porque ele aborda o bullying com gordinhos também, embora Yone chan jure que não se incomoda com os meninos apertando ele, mas lógico que ele se incomoda. Falando como gordinha que sou, odeio ser apertada, tá, eu sei, sou fofinha e tals, mas irrita muito, alem de você se sentir realmente humilhado, afinal ninguém gosta que atestem sua gordura assim, quem gosta quando lhe dizer que você engordou? Ou que você está cheinho ou fofinho??? Eu juro que sinto vontade de morder as pessoas que apertam a minha bochecha! Dizem ser sem maldade e porque não resistem, mas caro baixinho, você gosta quando colocam o braço em cima da sua cabeça??? Cara pessoa alta, você gosta quando lhe perguntam com o anda o tempo aí em cima??? Anyway, Hoppe ni Himawari é um shounei ai fofíssimo e merece nota 8 no total! Feliz dia do Yaoi e que um dia existam mais yaois com gordinhos no mundo!

Sempre sério: Arai pede Yone chan em namoro com essa cara!

Dia Nacional do Yaoi!!!!

E mais um yaoi day aqui no Lyli Kouga’s Blog, que não morreu alias, sim eu estou viva, um pouca escravizada pelo trabalho, porém viva. E nesse yaoi Day de Blogagem coletiva o tema é TEMAS RECORRENTES EM YAOI/BL….Eu poderia ficar aqui escrevendo durante horas sobre como amo os mangas em escritório, amo colegiais e como adoro um Hatsukoi!!!! Mas, não, seria muito previsível, e eu adoro não ser previsível (tanto que a minha imprevisibilidade se tornou previsível, mas deixemos as contradições pra depois), resumo da ópera, não vou pelo caminho obvio, divrtam-se com um texto criado por mim pra falar de TEMAS NEM TÃO RECORRENTES EM YAOI…MAS QUE EU ADORO e claro, junto com vários mangas legais pra vocês darem uma conferida.

TEMAS NEM TÃO RECORRENTES EM YAOI…MAS QUE EU ADORO!

Antes da gente de fato começar com o texto em si, queria soltar um desabafo aqui, sobre as fujoshis, a maioria de nós é bem besta mesmo, por isso esses temas aqui apresentados, que a Lyli tanto gosta, raramente aparecem…Mas aí vocês vem e me perguntam: Você que é fujoshi também fica aí falando mal de fujoshi? Falo mesmo! Ora! Pois tem muitas meninas (e meninos também) que procuram no yaoi/BL o mesmo que se procura num pornô, isso mesmo, eles querem sexo, homens bonitões se agarrando, sangramentos nasais, lemons de mais de vinte paginas! E o coitado do plot, fica de lado tadinho. Alguns podem achar exagero meu, mas quem tá nesse barco à tanto tempo quanto eu sabe como tá difícil achar yaoi/BL bom por aí. As vezes aparecem alguns cujo tema/ideia central é bom, mas daí ele é engolido pelo sexo precoce e lá se vai a boa história…Creio que muitas fujoshis/fundanshis vão torcer o nariz e perguntar pra quê diabos essa louca quer mais yaoi/BL desse tipo? Não se preocupe, eu respondo a pergunta.

UKE/SEME FEIO X UKE/SEME BONITO

1

Menkui – Suzuki Tanaka

Essa temática vista em pouquíssimos mangas e oneshots também aparece escondida num subtema “uke/seme muito bonito x uke/seme normal”. Com esse subtema podemos citar vários yaoi/BL mas um que pode se encaixar bem pois a propria temática é abordada seria “Menkui” de Suzuki Tanaka. Aqui nesse manga o personagem do tipo cara normal e sem atrativos que sempre ficou na sombra do irmão muito bonito que arruma um cara mais bonito ainda pra namorado. A palavra Menkui em japonês se refere basicamente àqueles que só saem/gostam/notam as pessoas muito bonitas, belo trocadilho (lembra um pouco o manga “Dekiru Otoko ga Suki Nanda” da Takanaga Hinako em sua essência).

A oneshot  “Denki” (electricity) da Naono Bohra não é do tipo que se encaixa bem nessa descrição (afinal um deles nem bonito é) porque o personagem em questão não é feio, o irmão mais velho dele que quer que seja assustador e assim o faz, mas na realidade ele tem a boa índole e tasl (aquela lenga lenga de sempre), digamos o clichê que dá certo.

Temos o manga, também de Suzuki Tanaka temos “Aitsu no Daihonmei” que enquadra bem esse tema, na verdade é a perfeita descrição do tema, o que peca nesse manga é o nonsense exagerado, que muitas vezes toma o lugar da historia em si. Mas se alguém algum dia puder me indicar um manga tão emblemático nesse tema quanto “Aitsu no Daihonmei” por favor, o façam!

51137

Aitsu no Daihomei – Tanaka Suzuki

E “Aitsu no Daihonmei” entra no tema numero dois da lista temas nem tão recorrentes em yaoi mas que eu adoro. Afinal tem aquela historia absurda do personagem principal ter ido pra uma clinica bem mais que espartana….maior nonsense, mas vamos ao próximo.

UKE/SEME GORDINHO/GORDO MESMO

tumblr_mbzf8iMis31ryxs1eo1_1280

Sweet Bitter Candy – Asou Mitsuaki

Eu juro que não sou a única criatura do universo a questionar o por que de ter tão poucas historias com esse tema, já foi pedido em muitos fórums estrangeiros e a resposta costuma ser do tipo virada de nariz ou, ó conheço uns aí mas bem poucos, a maioria recomenda uns baras e fica por isso mesmo…Mas não é bara que o povo quer, é Chubby chubby mesmo, gordinhos, e esse é pior que o tema anterior é quase nulo mesmo. Temos “The First Stage of Love” da Kazuhiko Mishima duas oneshots “Wait Weight Wait:01” e “Wait Weight Wait:02” , tem “Sweet Bitter Candy” de Asou Mitsuaki, que eu achei muito boa, tem “Ai no Gebokutachi” da Sakurai Shushushu onde no final do manga tem uma oneshot sobre os filhos do casal principal onde um deles é gordinho. O que irrita muito a minha pessoa é a ideia fixa dos personagens em emagrecer mesmo sabendo que são amados quando gordinhos, ou o fato de emagrecerem o personagem só pro lemon.

Temos as oneshots, “My Most Beloved One is stiil You”  da Cj Michaslki onde no final o cara emagrece o infeliz a força e ”Hada no Ue no Renai Jijou” que é uma coleção de oneshots da Naono Bohra, onde o personagem só é complexado, que talvez se encaixem nesse tema.

Zaiaku_wa_Hada_no_Ue_ni_00_credits1

Hada no Ue no Renai Jijou – Naono Bohra

FADAS/CRIATURAS PEQUENAS

the_prince_of_happiness_ch1_p001

Koukufu no Ouji – Suzuki Tanaka

Adoro, amo, devia ter fada em tudo que é canto, a primeira oportunidade de poder fazer personagem fada que eu tive eu fiz (alguém já deu uma olhada em D&D 4.0 Heroes of the Feywild) o nome dele é Hazelwood, Hazel pros íntimos e ele é uma fada…mas bem, temos poucas fadas também, tem “Koukufu no Ouji” também da autora de Menkui com varias fadinhas em varias oneshots, tem uma oneshot da Hoshino Lily capítulo 4 do manga “Mix Mix Chocolate”  que é muito do fofo mas a fadinha é grande, tem da Nangoku Banana  a oneshot Hara Peko Mitsuba Chinko” onde a fadinha (que não é tão fadinha) também é grande. E eu coloquei criaturas pequenas por causa de uma oneshot  bara que eu adorei (eu nunca disse que odiava cenas de sexo, só disse que tem uma hora que chega, vou deixar isso claro aqui) que tem quase tudo que eu imaginei numa cena erótica big one x small one de Mentaiko “One Fourth”.

Mix mix chocolate ch04 pg 078

Mix Mix Chocolate – Hoshino Lily

CENTAUROS

news_large_equus_img_hyo1_RGB_edited-1

equus – Esuto Emu

Eu sempre tive a ideia fixa de yaoi/BL com centauros, e não é que teve mangaka que me agraciou com um pouco disso (só podia ser Esuto Emu, é claro) com “Eqqus”, varias oneshotszinhas com centaurozinhos que são muito do cuti cuti, mas fica um tantinho de quero mais.

E esse foi mais um Yaoi Day aqui no Lyli Kouga’s Blog, ficou um texto mais genérico, mais comprido, com muito mais mangas do que geralmente eu coloco, mas esse foi um momento pra mostrar do que eu gosto bastantão, e deu pra ver que adoro um contraste, BonitoxFeio, GordinhoxMagro, PequenoxGrande, BaixinhoxAlto, é só o que eu mais gosto. E como deu pra ver tá difícil achar esses temas, logo, se alguém achar um manga/oneshot que se encaixe aí, estou esperando as sugestões. Feliz Dia do Yaoi pra todo mundo!!!!!!!!!